23 de maio de 2019

Resenha » Dario Julio & Os Franciscanos - O Menino Velho da Fronteira (2019)


Foi em 2014 que conheci a carreira solo de Dario Julio com o sobrenome "& os Franciscanos". Na ocasião do belíssimo tributo "Ainda Somos os Mesmos" foi ele quem interpretou a famosa canção do Belchior, Apenas um Rapaz Latino Americano. Antes disso Dario, ou Dary, foi integrante da Terminal Guadalupe e Lorena Foi Embora só pra lembrar.

Tocando sua carreira, foi somente esse ano que Dario Julio & Os Franciscanos lançaram o primeiro álbum batizado de "O Menino Velho da Fronteira" contendo dez faixas de puro saudosismo nos tempos atuais. O disco já inicia com uma baladinha certeira em Como Diria o Poeta com Dario cantarolando seus versos. Se existisse uma jovem-guarda atual Dario com certeza seria um dos integrantes desse movimento e a faixa Oi seria o hit de melhor representatividade sua.



Poderíamos chamá-lo de Belchior da nossa geração que da vida a suas letras poéticas através do violão e uma banda. Tipo em De Ninguém e Tchau, Amor. Entre elas aparece a faixa Arco-Íris com direito a uma levadinha reggae pra improvisar uma dancinha. O rock de Dario Julio & Os Franciscanos ganha uma roupagem nostálgica em O Nome do Jogo com a adição de teclados e trompete. Isso funciona muito bem no disco. Uma curiosidade é que nela encontramos outra referência as origens de Dario, o menino crescido da fronteira, quando cita a cidade de Corumbá (MS) que faz divisa com Bolívia.

De se fazer músicas com uma cara radiofônica o músico e banda parecem ter a fórmula certa calibrando o refrão e melodia para soarem pegajosas como o conjunto de Eu e Júlio no Pátio da Escola. O rock embalado pelo violão dita o ritmo do álbum que mantém a linha em Tempo e Placar no Roseiral (É Você). É com a adição do teclado como na faixa Horas Quentes que há espaço para a diversão com Dary nos levando pra dançar ao som de um bom rock. A faixa que encerra o disco é Ensaio Sobre a Lealdade um retrato vibrante da vida adulto do "menino velho da fronteira".

Dario Julio & Os Franciscanos fizeram um disco sincero e por muito cativante que facilmente nos embala.

Nenhum comentário:

Postar um comentário