Os Dez Melhores Discos Internacionais de 2017 | MÚSICA CAFÉ

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Os Dez Melhores Discos Internacionais de 2017

O ano aqui pro Música Café não foi muito movimentado com as postagens, mas ainda assim não faltou vontade de continuar mantendo o blog atualizado. Até foi criado uma coluna nova, "Disco da Semana", pra indicar discos novos além dos "Lançamentos", "Resenhas" e "Downloads".

Fazer as ditas Listas de Melhores do Ano é um item quase obrigatório pra quem tem um blog seja de música, filmes ou de outras coisas. Talvez seja o momento mais "difícil" e o mais demorado de se fazer pra quem escreve nesse meio e no final o gosto pessoal, óbvio, à parte da unanimidade e do hype, sempre prevalece.

Na pré-seleção entra de tudo um pouco. Tem aqueles discos resenhados aqui, os queridinhos da galera, discos presentes em outras listas que não foram ouvidos ainda, fora outros que você lembra e resolve dar uma segunda ou terceira chance. Ouvi-se um por um deletando ou não logo em seguida. Daí quando você filtra dez, objetivo da lista, vem a complicada tarefa de por em ordem de preferência os discos que restaram.

Em muitas listas por aí o ano foi da Lorde ou do Kendrick Lamar. Aqui pra nós o ano foi um pouco diferente. Abaixo segue minha lista de Melhores Discos Internacionais de 2017.

10. 
Arca - Arca
Em um ano que tanto se esperou pela parceria Arca e Björk, o terceiro disco do venezuelano prevaleceu. Insinuante, o disco propõe uma experiência eletrônica peculiar característico do músico Alejandro Ghersi.

09. 
James Holden And The Animal Spirits - The Animal Spirits
"The Animal Spirits" quase passou batido por aqui quando encontrei ele em algumas listas e pude descobrir o bom disco instrumental que é. Misterioso e cheio de improvisos, com o perdão do trocadilho, animais.

08.
John Maus - Screen Memories
Em tempos que se preza muito pelo diferente ou inovador, ouvir um disco com uma cara mais classuda sempre é necessário. "Screen Memories" do John Maus tem essa imagem alinhando post-punk, new wave e kraut rock no mesmo disco.

07.
Courtney Barnett And Kurt Vile - Lotta Sea Lice
Depois de ouvir "Lotta Sea Lice" talvez você chegue a conclusão que o duo foi feito um para o outro. O folk rock do disco carrega traços de ambos fazendo com que várias músicas grudem na cabeça.

06.
Slowdive - Slowdive
Quando anunciaram que Ride e Slowdive voltariam a lançar disco novo depois de anos muita gente entrou em êxtase. No final o Slowdive nos entregou um disco mais profundo para os bons amantes do dream-pop e shoegaze apreciarem com carinho.

05.
Fleet Foxes - Crack-Up
"Crack-Up" foi outro disco muito aguardado. Apesar de ter somente três discos o Fleet Foxes é sem dúvidas uma banda conceituada. Aqui eles prezaram a harmonia do conjunto e isso o grupo soube fazer com caprichos deixando o folk em outro nível.

04.
Vulfpeck - Mr Finish Line
O Vulfpeck foi uma das bandas que indiquei na coluna "Disco da Semana" por apresentar uma ensolarada mistura de grooves dançantes que passeiam do funk ao jazz. Um disco gostoso de ouvir de batidas que ficam na cabeça. (Leia mais aqui)

03.
Sampha - Process
A bela aliança do r&b com a música pop presente em "Process" fizeram do Sampha um dos destaques do ano. O carro-chefe é o single "Blood On Me" com uma fórmula pop que promoveu ainda mais o álbum.

02.
Charlotte Gainsbourg - Rest
Eis o destaque pop do ano pra mim. O álbum da Charlotte é harmonicamente belo e repleto de músicas fáceis de gostar. As faixas parecem interligadas para complementar cada detalhe da obra.

01.
Thundercat - Drunk
Habemus disco do ano! Aqui temos uma bela mistura de jazz, funk, blues e r&b promovida por Stephen Bruner. O terceiro disco do músico carrega uma vibe dançante conciliando as várias facetas dos estilos propostos tornando-o o disco do ano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © Música Café
Editado Por Moisés Lima | Tecnologia do Blogger
    Facebook Twitter Tumblr Instagram LastFM