28 de março de 2015

Música Café Indica: The Slow Show

Aí vai uma indicação pra você que gosta de Tindersticks, The National, Nick Cave, I Like Trains, e quem sabe Johnny Cash. A The Slow Show é uma banda de Manchester que você não demora muito para encontrar certas semelhanças como as citadas acima mesmo que essas sirvam apenas como norte para entender o rumo que o grupo toma nas entrelinhas musicais.

Formada por Rob Goodwin (vocal e guitarra), Frederik 't Kindt (teclados), Joel Byrne-McCullough (guitarra), Chris Hough (batéria) e James Longden (baixo), o grupo lançou seu primeiro disco esse ano chamado "White Water" com postura de gente grande fazendo um som refinado de qualidade.



A voz barítona de Goodwin carrega um charme que é contemplado por melodias pomposas estabelecidas em arranjos minuciosos como cada instrumento soando profundo e delicado. Piano, violino e trombone simulam uma pequena orquestra que se encarregam de dar um sobretom melancólico no conjunto guitarra, baixo e bateria, uma trilha soturna perfeita para vocais aveludados.

"White Water" é um disco empático que dialogo com nossos sentimentos em momentos tristes e consoladores que, se ouvido com um fone de ouvido, soará mais íntimo e prazeroso. Ouça o disco clicando aqui.

2 Comentários

Escreva Comentários
março 29, 2015 11:10 AM delete

Sabe aquele disco que não precisa de recomendações, que chega quietinho, sem muito estardalhaço, e que bate de primeira? Esse é o 'White Water' do The Slow Show. Talvez seja por esse tanto de referência musical que me passou, adoro essa voz, e os arranjos não ficaram esquecidos. Isso vale muito nesses dias em que bandas surgem aos montes. E acredito num segundo disco de mesmo nível, pq mostraram competência e paixão pela música. Bom texto e obrigado por divulgar o trabalho da banda. Minha resenha se encontra aqui.
https://lovenomore.wordpress.com/2015/03/25/ou-nao-the-slow-show/

Resposta
avatar
Moisés Lima
AUTOR
março 29, 2015 2:48 PM delete

Sem dúvida uma grande estreia dos caras Eduardo. Hoje no mundo da música cada vez mais competitivo e exigente, esse tipo de som nunca perde espaço. Há um público fiel que só agrega novos apreciadores e dificilmente perde diferente de outros estilos que continuam cada vez mais batidos.

Resposta
avatar