13 de junho de 2014

Resenha » Quilt - Held In Splendor (2014)

Se existe uma banda que será lembrada em muitas listas no final do ano essa banda é o Temples com seu contagiante indie psicodélico em seu debut Sun Structures. E se existe uma banda que faria uma dobradinha perfeita com o Temples contendo vocais femininos essa banda seria a Quilt.

O quarteto americano de Boston é formado por Anna Fox Rochinski, Shane Butler, John Andrews e Keven Lareau e lançaram esse ano seu segundo e certeiro disco, "Held In Splendor". O álbum começa com a carismática Arctic Shark trazendo a psicodelia envolvidas em notas do pop causando logo de cara uma boa impressão. Esse é um segmento recorrente no disco com cada referência aparecendo bem definida e equilibrada (Saturday Bride, Eye Of The Pearl e Mary Mountain).


Tie Up The Tides é aquela que mais tem uma inclinação ao pop sendo um atrativo a parte no disco. Em The Hollow o Quilt pinta uma psicodelia ensolarada antes de fazer um apelo indie na ligeira A Mirror, outro destaque do "Held In Splendor". Nas faixas a seguir, Just Dust e The World Is Flat, a banda prescreve uma psicodelia bucólica bem ritmada que dá uma enriquecida no disco. Com os vocais masculinos na dianteira em Tired & Buttered a banda fortalece seu lado indie sem precisar deixar para trás a estrutura psicodélica em que vem trabalhando até então.

O grupo gosta de se comportar de maneiras diferentes durante o disco e dá pra sentir isso na variada de ritmo que existe dentro da Secondary Swan em contraste com a faixa mais folk do registro, Talking Trains, com direito a um violão dedilhado e bem afinado. Pra encerrar, I Sleep In Nature carrega vocais etéreos e galga em um terreno folk com trilhas para retomarem quando quiser a psicodelia construída pela banda em todo o disco.

Nota: 8,0