25 de outubro de 2013

Resenha: Sigur Rós - Kveikur (2013)

Atualmente, dentro do cenário alternativo e afins, o Sigur Rós é uma das bandas mais conceituadas por sua singularidade sonora. Kveikur, sétimo álbum do grupo, veio mostrar um lado mais vigoroso da banda. O minimalismo predominante em seus trabalhos agora se mistura a um som mais inflamado de guitarras mais assíduas. Ísjaki - uma das melhores músicas do ano e uma das canções mais pop do grupo - contém um som mais energético apresentando um Sigur Rós mais ousado.

Marcados pela expressividade e a harmonia de múltiplos elementos sonoros em suas músicas, Jonsí e companhia jogaram por cima de um plano leve uma textura cheia de ruídos como nas faixas Brennisteinn, Hrafntinna e Kveikur. Essa característica vai aparecendo durante o disco e aquele ar frio e melancólico do disco anterior, Valtari (2012), vai se juntando a um clima mais caloroso.

Conhecidos pelas épicas viagens que fazem em seus discos, o Sigur Rós encurtou sua nova viagem, enriqueceu ainda mais sua história e sem dúvidas fez um dos grandes discos de 2013.

Kveikur (2013)
-
01. Brennisteinn
02. Hrafntinna
03. Ísjaki
04. Yfirborð
05. Stormur
06. Kveikur
07. Rafstraumur
08. Bláprádur
09. Var