quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Resenha: Rodrigo Amarante - Cavalo (2013)


Tal como Los Hermanos ou tal como Little Joy? Rodrigo Amarante não se limitou apenas em viver à sombra de suas bandas anteriores em sua carreira solo. Sua principal virtude no seu primeiro álbum, Cavalo, foi de explorar a si mesmo como cantor. Os predominantes traços silenciosos revelam a quietude e a simplicidade do cantor que buscou na mpb um espaço para repousar boa parte de suas canções. Rodrigo encontrou na leveza dos arranjos - dos mais modestos aos mais elaborados - o par perfeito para acompanhar sua voz desacelerada e branda.

Vivendo sua própria solidão no disco, Rodrigo ainda encontra Little Joy e Los Hermanos escondidos aqui e ali na sua singular viagem em Cavalo. Curiosamente os destaques do disco são aquelas músicas que mais representam as duas bandas. Enquanto Hourglass é uma releitura "littlejoyana", Irene cai como uma faixa bônus do álbum '4' do Los Hermanos. Aquém daquilo que já produziu em suas bandas, mas não aquém de seu talento, Rodrigo provoca com seu disco solo expressões caladas de desconfiança que demoram um pouco pra desaparecer e dar lugar a expressões sinceras de aceitação.

Cavalo (2013)
-
01. Nada Em Vão
02. Hourglass
03. Mon Nom
04. Irene
05. Maná
06. Fall Asleep
07. The Ribbon
08. O Cometa
09. Cavalo
10. I'm Ready
11. Tardei

Nenhum comentário:

Postar um comentário