7 de setembro de 2017

Resenha » Maglore - Todas as Bandeiras (2017)

Está precisando ouvir um disco nacional que cause uma boa impressão logo de cara sem muito invencionismo? O quarto disco da Maglore, "Todas as Bandeiras", pode ser uma boa pedida pra você.

Os baianos entregaram um disco pronto para ser consumido sem obstáculos equilibrando sua brasilidade na veia roqueira tendo o pop como elemento acessível ligando as vertentes e improvisos da banda. Isso sem contar com as letras fáceis de cantar.

As três primeiras faixas, Aquela Força, Todas as Bandeiras e Clonazepam 2mg, já mostram isso logo de cara divertindo a gente. Apesar de termos aqui um disco em boa parte homogêneo, mantendo a mesma pegada, é possível encontrarmos alguns contrastes como a faixa Hoje Eu Vou Sair com guitarras eufóricas distorcendo a linearidade construída até o momento e Quando Chove no Varal trazendo o sossego na melodia e nos vocais.

A Maglore apostou numa fórmula simples de fazer músicas que grudassem com facilidade, porém sem soar algo muito forçado. É assim em Me Deixa Legal, Eu Consegui, Calma e na mais regionalista/dançante de todas, Jogue Tudo Fora. Na última faixa, Valeu, Valeu, a Maglore sugere um "axé roqueiro" com um jogo de guitarras empolgadas.

"Todas as Bandeiras" é um disco satisfatório feito pra muita gente ouvir além do nicho austero independente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário