Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

RESENHAS

20 de fevereiro de 2017

Elbow - Little Fictions (2017)

O Elbow certamente é uma banda autêntica e de muita personalidade. Seu novo álbum, "Little Fictions", apresenta um grupo cauteloso que mede bem seus passos não se deixando levar por tendências atuais para não correr o risco de manchar sua sólida carreira.

Com a participação da orquestra britânica, Hallé Orchestra, o Elbow construiu um álbum polido que exige de nossos ouvidos o mesmo cuidado que sua criação teve e que, no final, a satisfação acaba ficando evidente nos dois lados.

"Little Fictions", o sucessor de "The Take Off and Landing of Everything" (2014), saiu oficialmente em 03 de Fevereiro.





LEIA MAIS

Jens Lekman - Life Will See You Now (2017)

"Life Will See You Now" é o quarto disco de estúdio do sueco Jens Lekman lançado oficialmente semana passada, 17 de Fevereiro, quase cinco depois de "I Know What Love Isn't" (2012).

É um típico álbum assinado por Lekman de melodias leves, caprichosamente adornadas por um violino, piano, trompete e teclado aqui e ali. Nele encontramos um músico disposto a adicionar elementos a sua zona de conforto para evitar possíveis clichês do estilo durante o disco como a percussão que surge ao fundo de Wedding In Finistére e uma nostálgica vibe eletrônica aliada ao sopro dos metais em How We Met, The Long Version.

O resultado é um disco assertivo e empolgante. Vemos aí um belo registro desse ano!




LEIA MAIS

4 de fevereiro de 2017

Resenha » Japandroids - Near To The Wild Heart Of Life (2017)

Cinco anos depois de lançar "Celebration Rock", o duo canadense Japandroids sai do hiato apresentando seu terceiro disco chamado "Near To The Wild Heart Of Life". (Ouça ele aqui.)

Conhecidos por misturarem o indie rock com um sobressalto noise que se estica pelas veias do punk entre um barulho e outro, o Japandroids parece que resolveu dar uma amenizada nas distorções e ruídos para arriscar um som mais ligeiro, alinhado em algo que talvez não estivesse tão longe assim do grupo, o hardcore.

Logo de cara, a faixa-título que inicia o disco já traz essa pegada bem sugestiva. A guitarra acelerada em conjunto com a bateria pulsam um ritmo mais melódico que o normal se levarmos em consideração seus anteriores trabalhos, "Post-Nothing" e "Celebration Rock". A concepção que tínhamos do grupo acaba mudando com essa tendência menos agressiva adotada por eles e isso se confirma ainda mais quando ouvimos North East South West de som elementar e backing vocal funcionando como numa banda emo.



Em True Love And A Free Life Or Free Will temos aí uma música de caráter inofensivo feita para amaciar nossos ouvidos e isso vindo do Japandroids soa estranhamente ruim assim como I'm Sorry (For Not Finding You Sonner) e a interminável Arc Of Bar com seus 7:25seg de uma música forçada.

Nas três últimas músicas que finalizam o disco, o Japandroids nos reserva ruídos quase inofensivos como se eles surgissem perante uma necessidade de ter seu potencial limitado para não agredir tanto como das outras vezes. 

Particularmente esperava um disco energético e dissonante. Encontrei nele um "noise" melódico metido a punk, hardcore!

LEIA MAIS